Arquivo diário: 23 de maio de 2016

Por que áudio de Jucá pode implodir o governo Temer, segundo a Arko

Amigo do barulho: quanto mais mantiver Jucá no governo, mais Temer será acusado de abafar a Lava Jato (José Cruz / Agência Brasil)
Amigo do barulho: quanto mais mantiver Jucá no governo, mais Temer será acusado de abafar a Lava Jato (José Cruz / Agência Brasil)

SÃO PAULO – Com pouco mais de uma semana, o governo do presidente em exercício Michel Temer sofre seu primeiro bombardeio importante: a divulgação, pelo jornal Folha de S.Paulo, de gravações de conversas entre o ministro do Planejamento, Romero Jucá, e o ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado. Nos diálogos, Jucá afirma que apenas a saída da presidente afastada, Dilma Rousseff, abriria caminho para um “pacto” capaz de salvar todos os políticos da Operação Lava Jato.

Nesta tarde, Jucá informou que se licenciará do Planejamento amanhã (terça-feira, 23) e retomará seu mandato como senador pelo PMDB de Roraima e presidente nacional do partido. De acordo com a Arko Advice, consultoria de análises políticas, a situação é “potencialmente explosiva” para o governo Temer por quatro motivos. O primeiro e mais óbvio é que ele reforçará o discurso do PT e de Dilma, de que o impeachment é um golpe e que todo o processo foi conduzido apenas com fins políticos: o de afastar Dilma e colocar alguém capaz de proteger os envolvidos na Lava Jato.

 

O financista.

 

 

Em conversas com o ex-presidente da Transpetro, atual ministro do Planejamento teria dito que mudança de governo poderia conter a operação Lava Jato

Conversas foram registradas no mês de março desse ano, semanas antes da votação da Câmara que deu início à abertura do processo de impeachment de Dilma (PMDB)
Conversas foram registradas no mês de março desse ano, semanas antes da votação da Câmara que deu início à abertura do processo de impeachment de Dilma (PMDB)

SÃO PAULO – O ministro do Planejamento, Romero Jucá, sugeriu ao ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado que uma mudança de governo poderia resultar em um pacto para deter o avanço da Lava Jato. A informação é do jornal Folha de S.Paulo.

As conversas foram registradas no mês de março desse ano, semanas antes da votação da Câmara que deu início à abertura do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff.

Espresso Financista.

Governo anuncia na 3ª-feira medidas econômicas

Política22.05.2016 09:59
 
© Reuters.  Governo anuncia na 3ª-feira medidas econômicas© Reuters. Governo anuncia na 3ª-feira medidas econômicas

(Reuters) – O governo vai apresentar na terça-feira as medidas para recuperar a economia e ajustar as contas públicas após projeção de déficit primário de 170,5 bilhões de reais.

O presidente interino Michel Temer reuniu-se no sábado, em São Paulo, com ministros, entre eles Henrique Meirelles (Fazenda) e Romero Jucá (Planejamento), para analisar as medidas a serem adotadas.

“Os anúncios de medidas econômicas não se esgotam na terça-feira, vão continuar acontecendo, à medida que forem ficando prontas”, disse Jucá em sua conta no Twitter, acrescentando que as medidas visam a melhorar o gasto público e as condições de investimento.

Segundo o ministro, Temer vai na segunda-feira ao Congresso para se reunir com o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL). O governo interino necessita do apoio dos parlamentares para aprovar medidas importantes de ajuste da economia.

“Espero do Congresso que entenda as necessidade do povo brasileiro e das finanças públicas. Acredito que será uma negociação muito produtiva”, disse o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles.

(Redação São Paulo)

 

 

 

Fique por dentro das 5 principais notícias do mercado desta segunda

Economia23.05.2016 06:57
 
© Reuters.  Fique por dentro das 5 principais notícias do mercado financeiro© Reuters. Fique por dentro das 5 principais notícias do mercado financeiro

As cinco principais notícias desta segunda-feira, 23 de maio, sobre os mercados financeiros são:

1. Preços do petróleo caem com proximidade de fim de interrupções na produção mundial

Os preços do petróleo estavam sob pressão nesta segunda-feira, devolvendo alguns dos ganhos da semana passada em meio a menores preocupações com as interrupções do abastecimento mundial.

O petróleo dos EUA caiu 40 centavos, ou 0,83%, para US$ 48,01 por barril, às 09h55min. GMT, ou 05h55min. ET, ao passo que o Brent caiu 31 centavos, ou 0,66%, para US$ 48,40.

Os futuros do petróleo estavam bem apoiados nas últimas semanas, devido a uma combinação de interrupções de abastecimento na Nigéria, Líbia e Venezuela e à redução da produção de petróleo canadense como resultado de incêndios na região de areias petrolíferas de Alberta. No entanto, como algumas das interrupções do abastecimento estão diminuindo, os investidores estão colocando seu foco de volta ao crescimento da oferta mundial do petróleo.

2. Dólar dos EUA permanece perto de alta de 2 meses com apostas de aumento de taxas

O dólar norte-americano permaneceu em seu nível mais alto em quase dois meses contra uma cesta das principais moedas nesta segunda-feira, uma vez que os mercados continuaram a levar em consideração a possibilidade de outro aumento da taxa de juros por parte do Banco Central dos EUA (Fed) em junho.

O índice do dólar, que avalia o dólar norte-americano em comparação com a cesta das seis principais moedas rivais, ficou pouco alterado em 95,30, permanecendo a uma curta distância da alta de duas semanas de 95,52, alcançada na semana passada.

Outras autoridades do Fed devem discursar mais tarde, incluindo o presidente do Fed de St. Louis, James Bullard, o presidente do Fed de San Francisco, John Williams, e opresidente do Fed da Filadélfia, Patrick Harker.

3. Crescimento do setor privado da zona do euro atinge baixa de 16 meses

A atividade econômica na zona do euro atingiu uma baixa de 16 meses em maio, evidenciando as preocupações com a saúde da economia da região, de acordo com os dados preliminares divulgados nesta segunda-feira.

A leitura preliminar do índice composto de gerentes de compras da zona do euro, que mede a produção combinada de ambos os setores de fabricação e setores de serviços, atingiu uma baixa de 16 meses de 52,9 de 53,0 em abril.

A desaceleração da atividade econômica destacou os desafios que o Banco Central Europeu enfrenta nas suas tentativas para estimular o crescimento e a inflação na região.

4. Japão é atingido com dados de comércio e do PMI fracos

Dados divulgados no início do dia mostraram que o Japão registrou um superávit comercial muito maior do que o previsto em abril, uma vez que as exportações caíram no ritmo mais rápido em três meses.

O superávit comercial da nação asiática em abril ficou em ¥ 823,5 bilhões, muito acima das projeções para ¥ 493 bilhões. As exportações caíram 10,1% em uma base ano a ano, ao passo que as importações caíram 23,3%, apontando para o enfraquecimento da demanda doméstica.

Um relatório separado mostrou que a atividade industrial japonesa contraiu no ritmo mais rápido em mais de três anos em maio, uma vez que os novos pedidos recuaram.

Os dados pessimistas somaram-se à pressão sobre o Banco do Japão de reforçar as medidas para estimular o crescimento.

5. Bayer faz oferta de US$ 62 bilhões à Monsanto

O grupo alemão de medicamentos e produtos químicos Bayer AG (DE:BAYGN) disse que tinha feito uma oferta para comprar a empresa americana de sementes Monsanto Company (NYSE:MON) por US$ 122 por ação em dinheiro, ou um valor total de US$ 62 bilhões, incluindo a dívida, para criar maior fornecedor agrícola do mundo.

A Bayer informou que planeja financiar o negócio com uma combinação de dívida e capital, principalmente por meio de uma oferta de direitos. A ação seria responsável por cerca de um quarto do valor do negócio.

As ações da Bayer perderam quase 3% em Frankfurt, ao passo que as ações da Monsanto foram cotadas em uma alta de quase 10% na pré-abertura em Wall Street.

Agronegócio supera 50% de participação nas exportações brasileiras, em 2016

Brasília – O agronegócio vem ampliando cada vez mais sua participação nas exportações brasileiras e já responde por mais da metade das vendas externas em 2016. É o que mostra o recém-publicado Boletim do Agronegócio Internacional, publicado pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA). Em abril, o setor representou 52,5% dos embarques nacionais. No acumulado de quatro meses, este percentual é de 50,2%, enquanto no mesmo período do ano passado o índice era de 44%, segundo dados do então Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), compilados pela CNA. Continuar lendo Agronegócio supera 50% de participação nas exportações brasileiras, em 2016

Exportações de arroz geram receita de US$ 108 milhões no quadrimestre, com alta de 11%

 

Exportações de arroz geram receita de US$ 108 milhões no quadrimestre, com alta de 11%

 

Brasília –  As exportações brasileiras de arroz tiveram um crescimento de 11% no primeiro quadrimestre de 2016, em comparação com idêntico período de 2015 e totalizaram US$ 108,2 milhões. Os dados foram fornecidos pela pela Associação Brasileira da Indústria do Arroz, (Abiarroz) e se baseiam em informações da Secretaria de Comércio Exterior do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC). Continuar lendo Exportações de arroz geram receita de US$ 108 milhões no quadrimestre, com alta de 11%